Psicóloga dá dicas de como enfrentar a quarentena

Olá Ruby Lovers,
Como vocês estão enfrentando a quarentena? Estamos vivendo tempos difíceis por conta da pandemia do novo coronavírus, e não sabemos quando tudo isso irá passar. A vida de muitas pessoas ao redor do mundo foi afetada, e isso acaba gerando um certo medo e ansiedade na gente.
Pensando nisso nós da Ruby Rose entrevistamos a psicóloga Jéssica Oliveira e pedimos a ela que nos desse dicas de como enfrentar essa quarentena e ficarmos mais tranquilas nesse período. Confira:


RR: Como ser mais produtivo na quarentena?
“O primeiro ponto é não se comparar com o outro. É difícil ter produtividade quando nos comparamos com pessoas que tem um estilo de vida totalmente diferente do nosso dentro ou fora da quarentena.
A internet é uma ferramenta importante, porém observo que em algumas instancias a rede social continua sendo um martírio quando temos a ilusão de que a grama do vizinho parece estar cada vez mais verde. Enquanto neles sobra, em nós parece uma falta constante.
Somos seres individuais com demandas individuais e isso precisa ser levado em consideração.
Não existe uma obrigatoriedade em ser produtivo, afinal a quarentena já é difícil por si só e dar conta dela já nos exige muito.
O mais correto é de acordo com a nossa realidade estabelecer uma rotina possível de ser cumprida equilibrando obrigação e lazer, respeitando sempre as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS).”

RR: Como lidar com a ansiedade e depressão?
“Com o isolamento social, transtornos ou sintomas de depressão eansiedade podem ser mais frequentes, podendo reforçar crenças anteriores. Não os negligenciar é um passo importante, porque do contrário seria como tentar apagar o fogo jogando lenha na fogueira. Manter o contato com alguém que lhe inspire confiança e colo emocional pode ser uma saída. Em relação a ansiedade, tente respirar enchendo os pulmões de ar, e o esvaziando com calma. Para os adeptos da meditação, essa é uma boa hora, existem bons aplicativos disponíveis. Porém é de extrema importância ressaltar que ninguém tem a obrigação de lidar com esses sentimentos sozinho, existe bons profissionais ofertando a diversos preços e até sem custo, atendimento psicológico virtual.
A modalidade exige estar de acordo com as regulamentações do Conselho Federal de Psicologia, e também ter cadastro no respectivo conselho, entretanto considerando o momento de calamidade pública, o conselho de psicologia emitiu uma nota que flexibiliza o atendimento não necessitando de cadastro prévio nesse momento de pandemia, então, o acesso ao atendimento psicológico está mais fácil nesse momento, o que é bom para todo mundo. Para quem não dispõe de nenhum desses recursos, busque informações na prefeitura do seu município para saber como está a organização das secretarias de saúde e de assistência social.”

RR: Como lidar com a autoestima durante a quarentena?
“A quarentena evidencia questões que existem a muito tempo, problemas com a autoestima é um deles.
Precisamos entender que apesar de ser muito difícil lidar com essa temática, principalmente quando se trata de uma autoestima baixa, não existe mágica para que ela suma. Assim como levou tempo para que ela fosse construída, também leva tempo para que ela seja desconstruída. A quarentena possibilita como um alvo, que possivelmente não está em primeiro plano, um contato e talvez até um mergulho em quem se é, principalmente em quem se é quando ninguém está vendo, o que por vezes pode ser desagradável. Sendo assim, se possível dentro da sua rotina e dos seus limites psicológicos, proponha momentos de auto cuidado que podem ser desde cuidados com o corpo, com o intelecto, espiritual entre outros. Se sinta, se perceba. Volto a dizer que é importante entender os seus limites, nem tudo dá para ser feito sozinho, e tudo bem, se for o seu caso procure um atendimento psicológico.”

RR: Como superar a angústia e a insegurança nesse período com tantas informações vindas das redes sociais?
“É difícil não se sentir inseguro durante uma pandemia, as inseguranças veem de todos os lados. Manter-se informado é importante, porém com equilíbrio. Sugiro que eleja um ou dois meios de comunicação confiáveis, que emitam informações reais, e preferencialmente com base científica e técnica, com comprometimento ético, fuja de meios de comunicação que podem se mostrar sensacionalistas e com informações que tenham como base a opinião pessoal e não técnica da equipe responsável. Consuma a quantidade de informação necessária para você.”

RR: Como manter um bom relacionamento com a família?
“Precisamos lembrar que não existe a ideia de família perfeita e sim de uma família funcional, e enquanto família funcional os desajustes também fazem parte. A convivência pode trazer luz aquilo que com a rotina habitual da família não se percebe, ou não tem tanto peso. É como um Big Brother Brasil com a sua família, já pensou? Pode parecer uma constante prova de resistência, e as vezes da vontade mesmo de fazer uma votação para eliminar alguém. O diálogo é sempre um aliado que pode te trazer imunidade (leia equilíbrio) por mais alguns dias. Analogias a parte, é importante tentar manter um diálogo assertivo, partindo sempre de como você se sente, para gerar empatia e evitando ao máximo frases que aparentem acusação, o que gera afastamento e necessidade de defesa. Lembre-se você quer resolver ou brigar? Respeite as individualidades de cada membro familiar, seja empático.
Famílias funcionais são famílias em que existe respeito e não existe violência. O período de quarentena pode intensificar relações abusivas e isso é sempre um alerta, se esse for o seu caso, saiba que foram previstos recursos de suporte para diversas situações, caso haja interesse em registrar alguma ocorrência, é possível realizar digitalmente pelo portal da polícia civil, porém em casos de violência doméstica, estupro e estupro de vulnerável, procure a delegacia de polícia comum e especializada (Delegacia da mulher, do idoso etc), além de buscar contato com a prefeitura de seu município ou sub prefeitura para o suporte socioassistencial. Cada prefeitura tem seu protocolo de funcionamento para a situação atual de pandemia.  Outra opção também, é ligar para o 180, número do ministério da mulher, família e direitos humanos.”

Se vocês tiverem mais dúvidas sobre como se sentir melhor durante essa quarentena, pode deixar aqui nos comentários e quem quiser conhecer melhor a doutora o Instagram dela é @jessica1oliveira. Espero que vocês fiquem bem e seguros em casa!
Dona Ruby!

você também pode gostar

fique por dentro das
nossas novidades

Para todos os tons,
para todas as peles.

contatos

atendimento ao cliente

falaai@rubyrose.com.br
(11) 3473-0636

assessoria de imprensa

l.donegatti@rubyrose.com.br

eventos

b.nascimento@rubyrose.com.br

siga nossas
   redes sociais

nossas iniciativas

fique por dentro das
nossas novidades

contatos

atendimento ao cliente

falaai@rubyrose.com.br
(11) 3473-0636

assessoria de imprensa

l.donegatti@rubyrose.com.br

eventos

b.nascimento@rubyrose.com.br

nossas iniciativas